05 jul 2012

Guideline iOS – Experiência do Usuário 5

Agrade as pessoas com gráficos impressionantes

Gráficos atraentes, ricos e bonitos atraem as pessoas para um aplicativo e fazem a mais simples das tarefas algo gratificante. Belas obras de arte (beautiful artwork) também ajuda a construir a marca da sua aplicação aos olhos dos usuários. Dispositivos iOS exibem a arte da sua aplicação, então você deve considerar a contratação de um artista profissional para criar gráficos de primeira linha que as pessoas irão admirar.

Viu, a Apple insiste em dizer que você deve contratar um bom designer de UI 😉

Considere replicar a aparência de materiais preciosos ou de alta qualidade. Se o efeito de madeira, couro ou metal é adequado na sua aplicação, tome o tempo necessário para fazer que o material pareça realista e valioso. Por exemplo, o Notes (aplicativo abaixo) reproduz a aparência do couro fino e costura de forma minuciosa.

 

Quando apropriado, crie gráficos em alta resolução. Na maioria dos casos, ampliar o seu trabalho artístico não é recomendado em uma solução a longo prazo. Em vez disso, tente criar sua arte em uma dimensão maior do que você precisa, assim você pode adicionar profundidade e detalhes antes de reduzi-la. Isto funciona especialmente bem quando a dimensão do arquivo de arte original é de uma dimensão múltipla do que você precisa. Então, se você também usar um tamanho de grade apropriada em seu aplicativo de edição de imagem, assim você será capaz de manter o arquivo de arte em escala reduzida nítida e reduzir a quantidade de retoques e nitidez que você precisa fazer.
Certifique-se que suas imagens de lançamento (splashscreen) e ícone do aplicativo são de alta qualidade. Para obter instruções sobre como criar, ver “Guia para a criação de ícones e imagens personalizados.”

Remova valores codificados que identificam (padronizam) as dimensões da tela. Isto é particularmente importante se você quiser que seu aplicativo seja executado em diferentes dispositivos iOS.

 

Manuseie Mudanças de Orientação

Muitas vezes as pessoas esperam utilizar seus dispositivos iOS em qualquer orientação/posição (direção pra cima, baixo, lado etc). Você precisa determinar como responder a essa expectativa,dentro do contexto da sua aplicação e das tarefa que ela permite.

Em todas as posições, mantenha o foco no conteúdo principal. Esta é a sua maior prioridade. As pessoas usam o aplicativo para visualizar e interagir com o conteúdo que lhes interessam. Alterando o foco daquele conteúdo em diferentes orientações pode fazer com que as pessoas sintam que elas perderam o controle sobre a aplicação.

Pense duas vezes antes de impedir que seu aplicativo seja executado em todas as posições. As pessoas esperam usar a sua aplicação em diferentes orientações, e é melhor quando você pode preencha essa expectativa. usuários iPad, em particular, esperam usar a sua aplicação em qualquer orientação (posição) que eles estejam manuseando o dispositivo. Mas em certos casos, um aplicativo precisa ser executado somente em modo retrato ou paisagem. Se é essencial que seu aplicativo seja executado em uma única posição, você deve:

Lançar seu aplicativo em sua orientação suportada (travar a orientação), independentemente da orientação do dispositivo atual. Por exemplo, se o seu jogo ou aplicativo de mídia de visão é executado em modo paisagem única, que é apropriado para lançar o seu aplicativo na paisagem, mesmo se o dispositivo está no modo retrato. Dessa forma, se as pessoas começarem a sua aplicação em modo retrato, eles sabem que devem mudar o dispositivo para o modo paisagem para ver o conteúdo.

Evite exibir um elemento de interface do usuário que diz às pessoas para girar o aparelho. Iniciando o aplicativo em sua orientação suportada você diz claramente às pessoas para girar o dispositivo, se necessário, sem adicionar bagunça desnecessária a sua interface do usuário.

Suporte ambas as variantes de uma orientação.
Por exemplo, se seu aplicativo é executado apenas na paisagem, as pessoas devem ser capazes de usá-lo se estão segurando o aparelho com o botão Home à direita ou à esquerda. E, se as pessoas giram o dispositivo em 180 graus durante o uso do aplicativo, é melhor se você puder responder a isso girando o seu conteúdo em 180 graus.

Se seu aplicativo interpreta as mudanças na orientação do dispositivo como entrada de usuário (user input), você pode manipular rotações de formas específicas dentro da aplicação. Por exemplo, se sua aplicação é um jogo que permite que as pessoas movimentem peças do jogo girando o dispositivo, você não pode responder a essa rotação do dispositivo girando a tela (n pode girar a tela do app  ja que  girar o dispositivo é algo que o jogo exige, assim ficaria confusa a interação). Em um caso como este, você deve iniciar em qualquer variante da sua posição necessária e permitir que pessoas alternem entre as variantes até que eles comecem a tarefa principal do aplicativo. Então, logo que as pessoas comecem a tarefa principal, você pode começar a responder ao movimento do dispositivo de formas específicas do aplicativo.

Aproveite a mudança de uma única  etapa de alteração de orientação para realizar operações mais refinadas, porém rotações mais rápidas. No entanto, se o s eu layout de tela é muito complicado, você pode escolher uma transição cross-fade quando os usuários alteram a orientação do dispositivo. ” Veja Manipulação de Rotações “, em Referencia Controlador de Exibição UI, explica como usar o processo de uma etapa em seu código.

Preste atenção aos valores do acelerômetro. Para saber mais sobre esses valores e como recebê-los, consulte Referência do framework CORE MOTION. Se for caso disso, o aplicativo deve responder a todas as mudanças na orientação do dispositivo.

No iPhone, antecipe as necessidades dos usuários quando você responde a uma mudança na orientação do dispositivo. Os usuários geralmente giram seus dispositivos para a orientação paisagem, porque querem “ver mais”. Se você responder pela simples ampliação do seu conteúdo, você deixa de atender às expectativas dos usuários. Em vez disso, você deve responder recondicionando as linhas de texto e, se necessário, reorganizando o layout da interface do usuário para que caiba mais conteúdo na tela.

No iPad, se esforce para satisfazer as expectativas dos usuários, sendo capaz de rodar em todas as orientações (lembres-e orientações aqui significa a posição do dispositivo). A tela grande do iPad diminui o desejo das pessoas de girar o dispositivo para “ver mais” no modo paisagem. E, porque as pessoas não prestam muita atenção à estrutura mínima do dispositivo ou a localização do botão Home, elas não consideram que o dispositivo tenha uma orientação padrão. Essa falta de consciência da orientação padrão de um aplicativo  leva as pessoas a esperar que os aplicativos rodem bem na posição em que estão usando o dispositivo atualmente. Tanto quanto possível, o aplicativo deve incentivar as pessoas a interagir com o iPad de qualquer lado, proporcionando uma grande experiência em todas as orientações (posições)

 

Siga estas diretrizes no projeto de como seu aplicativo iPad deve lidar com rotação:

 

Considere alterar a forma como exibe as informações auxiliares ou funcionalidade. Embora você deve se certificar de que o conteúdo mais importante esta sempre em foco, você pode responder a rotação por mudar a forma como você fornece conteúdo secundário.
No MAIL do iPad, por exemplo, as listas de contas e caixas de correio são conteúdo secundário (o principal conteúdo é a mensagem selecionada). Na paisagem, o conteúdo secundário é exibido no painel esquerdo de uma opinião divergente, em retrato, é exibido em um pop-over.

Ou, considere um jogo no iPad que exibe um jogo de tabuleiro retangular no angulo paisagem. No retrato, o jogo precisa redesenhar o tabuleiro para se encaixar bem na tela, o que poderia resultar em um espaço adicional acima ou abaixo do tabuleiro. Em vez de esticar verticalmente o tabuleiro de jogo para caber no espaço ou deixar o espaço vazio, o jogo poderia apresentar informações complementares ou objetos no espaço adicional.

Evite mudanças gratuitas no layout. Tanto quanto possível, ofereça uma experiência consistente em todas as orientações. Uma experiência semelhante em todas as orientações permite que as pessoas mantenham seus padrões de uso quando rodar o dispositivo. Por exemplo, se seu aplicativo iPad exibe imagens em uma grade, enquanto na paisagem, não é necessário exibir as mesmas informações em uma lista, enquanto em modo retrato (embora você possa ajustar as dimensões da grade).

Quando possível, evite reformatar a informação e recondicionar um texto em rotação. Esforce-se para manter um formato semelhante em todas as orientações. Especialmente se as pessoas estão lendo o texto, é importante para evitar leva-lo a perder o ponto onde estava lendo quando giram o dispositivo.
Se alguma re-formatação é inevitável, use a animação para ajudar as pessoas a controlar as alterações. Por exemplo, se você deve adicionar ou remover uma coluna de texto em diferentes orientações, você pode optar por ocultar o movimento de colunas e simplesmente desaparecer (fade) no novo arranjo. Para ajudar você a projetar o comportamento de rotação adequado, pense sobre como você esperaria que o seu conteúdo se comportasse se você estivesse fisicamente interagindo com ele no mundo real.

Forneça uma imagem de lançamento único para cada orientação (a idéia aqui é assim, use uma imagem diferente para cada posição quando o app inicia, tipo retrato a imagem é X e paisagem a imagem é Y. Quando cada orientação tem uma imagem de lançamento (splashscreen) única, as pessoas experimentam uma inicialização suave da aplicação independentemente da orientação do dispositivo atual. Em contraste com a tela inicial do iPhone, a tela inicial iPad suporta todas as orientações, para que as pessoas tendem a iniciar a sua aplicação na mesma orientação em que se encerraram o aplicativo anterior.

 

 

Leave a Comment