19 out 2015
o-movimento-maker-e-a-industria-criativa-em-brasilia

Movimento Maker: de volta ao mundo dos átomos

Quando criança, você fazia experiência com os produtos de limpeza da sua mãe? Desmontava seus brinquedos? Adorava fazer hélices com motorzinho? Já tentou construir seu próprio brinquedo com peças de vários outros? Quando criança, ao menos uma vez, você se sentiu inventor, cientista, super? Se você for como eu deve ser por isso que trabalha com TI. Afinal de contas, esta maquina através da qual escrevo é o que mais me permite construir. Mesmo que o produto das minhas invenções sejam representações digitais, softwares especificamente. Mas e se a gente pudesse, finalmente, deixar este mundo de SimCity? E se você puder sair da tela do computador para o mundo real? De volta ao mundo dos átomos?

Na minha visão, este é o valor do movimento Maker. Os mais técnicos talvez já tenham ouvido falar do Arduino. Quem não conhece, pense nele como um interprete que permite o Hardware e o software conversar. Mas o grupo agora tem outros interpretes. E vários outros recursos amigos que elevam a outro nível o “Faça você mesmo”. Mas porque isso é divertido e permite invenções malucas, não deve ser confundido com brincadeira. Já ouviu falar na internet das coisas? Daqui a pouco a sua geladeira, o seu carro e todas as outras coisas estarão conectados à internet. E o movimento Maker, com bastante seriedade, tende a acelerar essa revolução. Talvez o movimento Maker seja a resposta que eu procuro a pergunta deste post.

 

Foi pra falar sobre este movimento que DClick Treinamentos, em parceria com a Redspark e Escola de Design Thinking, receberam no dia 14 de outubro de 2015, Nagib, fundador da empresa Bolha, que compartilhou toda sua paixão por este novo mundo. Nagib, me fez lembrar da feira de ciências, que eu adorava participar na época da escola, quando mostrou um vídeo da Maker Faire, um evento anual que acontece nos EUA e já atrai milhares de pessoas, famílias, curiosos, empresários e grandes corporações.

CTA-ebook-transformação-digital

Ainda sobre a infância lembro como eu passava horas na casa do meu padrinho brincando de Lego. Você gostava do lego também? Então veja isso:

Leave a Comment