09 dez 2015

Vestindo a camisa

Diariamente, falamos sobre comprometimento, envolvimento, formação de time, vestir a camisa, “puxar o projeto”, ser um líder. Esses pontos me fazem pensar em várias questões: Como gerar maior engajamento na equipe? Como fazer com que determinado colaborador seja mais comprometido com o projeto, com a entrega, com o pleno entendimento do negócio? Como formar novos líderes? Será que alguns pontos não deveriam acontecer naturalmente? Será que com o tempo as pessoas amadurecem, se envolvem mais, se tornam mais comprometidas e engajadas? Aquele que é mais comprometido, que puxa o projeto, que lidera uma reunião com o cliente… O que foi feito para que ele se mostrasse desse jeito? Alguém lhe falou o que deveria fazer, como deveria agir? Ou simplesmente é do perfil dele? Ou ele entendeu que, agindo assim, conseguirá se destacar e ser reconhecido pelo seu trabalho, crescendo profissional e financeiramente? Será que existem técnicas ou maneiras para formação de líderes e de um time mais maduro e comprometido?

Diante dessas e de muitas outras questões, acredito que esse ciclo tende a ser mais natural do que algo que pode ser construído. Acredito sim que existem técnicas que podem ser colocadas em prática para motivar o time, mostrar a importância de ser comprometido, qual o melhor caminho a seguir e até onde é possível chegar, criando um ambiente favorável ao engajamento, porém, o ponto crucial é a mudança de atitude da própria pessoa. Deve partir de cada um a vontade de querer se comprometer mais, se envolver com as questões da empresa, de querer saber mais sobre o cliente ou sobre determinado assunto, de se preocupar com as metas do projeto, de ser engajado e engajar os outros colegas para alcançar o objetivo em comum, enfim, de querer assumir certas responsabilidades.

Quando nos comprometemos, só temos a ganhar. O nível de interação com as pessoas cresce, ficamos mais expostos na empresa, ganhamos destaque, dessa forma ficamos mais motivados e autoconfiantes naquilo que sabemos fazer.

Não acho que seja fácil engajar pessoas, é complicado lidar com esses aspectos humanos, cada um tem sua personalidade, suas particularidades, seus medos, seus objetivos, suas qualidades e defeitos. Mas temos que entender que essas diferenças existem, e diante disso, tentarmos aprender uns com os outros diariamente, extraindo nosso melhor potencial, para que, individualmente ou como empresa, consigamos atingir nossos objetivos.

CTA-ebook-transformação-digital

Leave a Comment